Cinco benefícios de terceirizar o marketing de sua empresa.

Empresas modernas, tem optado pela terceirização de alguns de seus processos,  vários departamentos podem ser terceirizados, deixando a empresa livre para focar na sua atividade fim. Processos como a contabilidade, o RH, processos de limpeza, manutenção e vigilância, já são terceirizados por várias empresas.

Todo empresário, seja de grande, média ou pequena empresa, sabe da importância de divulgar seu negócio e criar um valor para sua marca. E o marketing é uma das principais ferramentas para o sucesso de qualquer negócio.  

Atividades como desenvolver ações de divulgação, cuidar de seus canais de venda, promover seus produtos ou serviços ou ainda cuidar da presença online, consomem tempo e precisam de um acompanhamento constante de pessoas ou equipes altamente capacitadas ou do próprio gestor do negócio. 

Com o negócio em expansão, muitas vezes,  outras demandas vão se sobrepondo á esses processos e a falta de tempo faz com que, em muitos casos, a empresa “esqueça” de executar as ações de marketing planejadas.

Uma alternativa, que tem ganhado força nos últimos tempos,  para que sua empresa possa ter mais foco em sua atividade fim é apostar na terceirização do marketing.

Investimento que chega para melhorar os resultados das empresas, o outsourcing marketing (terceirização do marketing) parte do princípio de que profissionais de fora da companhia irão executar todas as tarefas relacionadas ao marketing desse negócio (administração das redes sociais, criação de anúncios e e-mails, produção de conteúdo para blogs, etc.).

Contratar um serviço de marketing terceirizado além de trazer mais valor para a marca, diminui a carga de responsabilidades dos proprietários que já possuem muitas responsabilidades para administrar.

Conheça agora cinco vantagens do outsourcing marketing.

  1. Ideal para médias e pequenas empresas: Companhias que não tem condições financeiras ou estruturais para contratar uma equipe interna de marketing podem terceirizar a função e economizar no quadro de funcionários.
  2. Menos custos: Apesar da terceirização não ser um serviço relativamente barato, seu custo-benefício é maior se comparado à contratação de uma equipe interna de marketing. Deixando a empresa livre de encargos trabalhistas e custos de contratação.
  3. Ponto de vista diferenciado: Tanto os funcionários de dentro da empresa quanto os proprietários têm a tendência de se apegar à ideias já consolidadas. A acomodação pode trazer prejuízos para o marketing da companhia uma vez que as pessoas tendem a não alterar algo que está funcionando. Quando uma equipe terceirizada é contratada, a empresa conta com uma visão externa que enxerga de forma diferente os processos e procedimentos internos.
  4. Mais foco na empresa: O fato de ter uma equipe externa somente para cuidar da comunicação de marketing da empresa, possibilita que a equipe interna se concentre em outras tarefas que aumentem a lucratividade do negócio.
  5. Lançamento de campanhas: Ao terceirizar o marketing da empresa, uma equipe é disponibilizada somente para trabalhar com os projetos da companhia, tornando o processo de criação e lançamento de campanhas muito mais ágil, habilidoso e eficiente.

Portanto, se você é empresário e pretende melhorar os números da sua empresa, uma opção é a contratação um serviço de marketing terceirizado para seu negócio.

A Digideias é uma agência de Curitiba especializada em marketing e possui alguns cases de sucesso de empresas que terceirizaram seu departamento de marketing. Com um time composto por publicitários, designers, social media e jornalistas, a Digideias trabalha para alavancar seu negócio.

Visite o site e conheça os serviços oferecidos. Vem ser Digideias você também!    

GDPR: como ela interfere na sua privacidade

Certamente nesta semana sua caixa de e-mails lotou com mensagens de empresas e marcas atualizando suas políticas de uso e privacidade, não é mesmo? Mas não se assuste , isso é devido a GDPR! Esse fato ocorreu devido à aprovação pela Câmara dos Deputados do Projeto de Lei 4060/2012, do deputado federal Milton Antônio Casquel Monti, que visa regulamentar o uso de dados pessoais por iniciativas privadas, e também pelo poder público.

Mas o que é GDPR?

Derivada do termo em inglês General Data Protection Regulation – que em português significa Regulamento Geral de Proteção de Dados – GDPR é a sigla para lei assentida pelo Parlamento Europeu em abril de 2016, que substitui uma diretiva de 1995 para a gestão de dados de usuários nas empresas de internet, considerada desatualizada para o contexto de um mundo cada vez mais conectado, interligado e com um volume de dados crescente a cada ano.

Do que se trata?

Ela tem por objetivo garantir e proteger, no âmbito do tratamento de dados pessoais, a dignidade e os direitos fundamentais da pessoa natural, particularmente em relação a sua liberdade, privacidade, intimidade, honra e imagem.

Ou seja, a ideia é garantir mais transparência, segurança, privacidade e controle quanto à coleta e manutenção de dados privativos. Informações como nome, endereço, e-mail, idade, estado civil, além de imagens recolhidas por reconhecimento facial ou gravações de chamadas telefônicas, números de IP e histórico de geolocalização serão legais apenas com o consentimento explícito do individuo.

Afinal, quais são as diretrizes?

O uso permitido de dados pessoais foi categorizado em dez situações, são elas:

  • Com o consentimento do titular.
  • Para o cumprimento de uma obrigação legal ou regulatória.
  • Pela administração pública, para a execução de políticas públicas.

No caso destes dois tópicos, o usuário deve ser informado para que fim suas informações serão utilizadas. Nos casos de contratos de adesão, como em download de aplicativos, a empresa deve dar destaque para essas finalidades.

  • Para a realização de estudos por órgãos de pesquisa, sem a individualização da pessoa.
  • Para a proteção da vida ou da integridade física do titular ou de um terceiro.
  • Para a tutela da saúde, com procedimento realizado por profissionais da área ou entidades sanitárias.
  • Para a execução de um contrato ou de procedimentos preliminares relacionados, a partir de pedido do titular.
  • Para pleitos em processos judiciais, administrativos ou arbitrais.
  • Para proteção de crédito, nos termos do Código de Defesa do Consumidor.
  • Para atender aos interesses legítimos do responsável ou de terceiros, como fins comerciais e marketing dirigido – esta, aliás, é a mais utilizada.

Isto é

Essas diretrizes também valem para instituições que atuam e/ou coletam informações, como o Facebook, a Google e a Apple. Em casos de conteúdo reunido por pessoas físicas para objetivos exclusivamente pessoais, jornalísticos, artísticos e acadêmicos elas não contam.

Punições

Qualquer companhia que viole o GDPR será multada em 4% do seu faturamento anual ou US$ 20 milhões – o que for maior. Embora provindo da União Europeia, o regulamento vale para qualquer instituição que oferece os seus serviços na Europa.

 

 

Como se destacar no Linkedin? Confira dez dicas para obter sucesso na rede social corporativa

Descubra agora como se destacar no Linkedin!

Hoje em dia as pessoas usam muito as redes sociais para o lazer. Compartilhar momentos e aproximar pessoas é a proposta da grande maioria dessas redes, como, por exemplo, Facebook, Instagram, Twitter, Pinterest e Tumblr, algumas das maiores plataformas do mundo virtual.

Mas, o LinkedIn, em especial, é diferente. Rede social de negócios lançada em 2003, tem como objetivo estabelecer conexões profissionais. Através da criação de um perfil na plataforma, o usuário monta seu currículo virtual, adiciona pessoas e estabelece um networking online.

E se tratando de uma ferramenta tão importante e popular – com mais de 225 milhões de membros –, é necessário que o usuário saiba fazer uso do LinkedIn da melhor forma possível, pois qualquer deslize pode custar uma vaga de emprego.

Dessa maneira, nós selecionamos dez dicas para você melhorar seu perfil e aproveitar ao máximo os benefícios dessa rede social.

1 – Adicione uma foto de perfil
Para se destacar no linkedin, os recrutadores e as empresas, a imagem pessoal conta muito, por isso, é importante apresentar uma foto de perfil que seja profissional e adequada a sua profissão.

2 – Personalize a URL
Para se destacar nas ferramentas de busca, e deixar a URL mais agradável, – eliminando aquela sequência de letras e números aleatórios –, personalize o link do seu endereço de perfil com nome e sobrenome.

3 – Escreva um resumo
Quanto mais completa for sua página no LinkedIn mais interesse ela despertará nos recrutadores, por isso, aproveite para adicionar um bom resumo ao seu perfil. Crie um pequeno texto para se apresentar, falar sobre seus interesses e habilidades, além de explicar seus objetivos profissionais.

4 – Apresente seu currículo
Um dos pontos mais fortes de um perfil no LinkedIn é a formação acadêmica. Por isso, aproveite essa ferramenta para expor seus certificados, diplomas e outras certidões que contribuíram para sua carreira.

5 – Invista nas palavras-chave
Selecione algumas palavras que se relacionem com sua profissão, personalidade ou experiência profissional, e as utilize ao longo do perfil. As chamadas palavras-chave (liderança, SEO, Microsoft Office, etc.), são formas eficientes de alavancar seu perfil nas ferramentas de busca do Google.

6 – Crie um perfil em outro idioma
Falar outra língua atualmente já não é mais um diferencial, e grande parte das empresas, principalmente as multinacionais, procuram um profissional bilíngue, portanto, adicione um perfil em outro idioma à sua página no LinkedIn. Em muitos casos o recrutador pode procurar por palavras-chave em inglês, por exemplo, e se o seu perfil estiver em inglês, as chances de você ser encontrado por esse recrutador são maiores.

7 – Acrescente links para outras redes sociais
Para facilitar a comunicação, – já que o LinkedIn não é a melhor plataforma para bate-papos –, e até fornecer mais dados sobre você, adicione outros perfis à sua página profissional. Endereços de e-mail, Twitter, Facebook, e outras redes sociais podem ser associadas à sua conta.

8 – Mantenha o perfil atualizado
De nada adianta ter uma conta no LinkedIn, mas não atualizá-la regularmente. Pelo menos uma vez por mês é preciso movimentar o perfil, seja atualizando a foto de perfil ou de capa, ou adicionando uma habilidade nova.

9 – Exerça a pró-atividade
Siga empresas de seu interesse, interaja com suas conexões, publique textos de sua autoria, pesquise sobre profissionais que você admira e tente fazer um contato com essas pessoas, torne-se visível para os recrutadores.

10 – Cuide da escrita
Por ser essencialmente textual, o LinkedIn exige dos profissionais uma habilidade extra com a língua portuguesa. Erros de português como acentuação, concordância e gramática somam pontos negativos à avaliação dos recrutadores.

Gostou das dicas? Que tal colocá-las em prática hoje mesmo e dar um up no seu perfil profissional? Utilizando corretamente todas as ferramentas que o LinkedIn oferece, você traça seu próprio caminho para o tão sonhado sucesso profissional.