Novidade: WhatsApp irá exibir anúncios no Status

Chris Daniels, vice-presidente do WhatsApp, confirmou na última quarta-feira, 31, que o serviço de mensagens passará a exibir anúncios ao lado do já popular recurso Status.

Utilizado também nas demais plataformas pertencentes ao Facebook, como a versão Stories do Instagram, o Status exibe durante 24 horas, para todos os contatos, uma combinação de texto, fotos e vídeos.

Implementado no WhatsApp no início de 2017, o recurso conta hoje com cerca de 450 milhões de usuários ativos diariamente, se tornando, portanto, uma boa ferramenta para empresários e para a publicidade.

A mudança pode ser uma estratégia do Facebook de monetizar o serviço, já que os usuários não pagam para usar o aplicativo, e de variar suas fontes de renda através do próprio WhatsApp e das demais ferramentas como Messenger e Instagram.

De acordo com os últimos relatórios da rede social, a tendência é que a base de usuários do Facebook sofra estagnação e até mesmo queda em determinadas regiões, resultando nessa busca por alternativas de faturamento nas demais plataformas da corporação.

 

Facebook lança ferramenta para marketing de influenciadores

O Brand Collabs Manager é a mais recente ferramenta do Facebook para alimentar o marketing de influenciadores digitais.

A plataforma ajuda a conectar marcas com criadores de conteúdo relevantes para seu público, permitindo encontrá-los através de fatores como idade, interesses, gênero, etc.   

Estes influenciadores possuem contas que podem chegar a oito milhões de seguidores, tendo suas informações disponíveis no sistema – o que facilita o encontro entre marca e influenciador.

O lançamento do Brand Collabs Manager no Facebook enfatiza o quão significante o marketing de influenciadores está se tornando. A vertente ganha espaço como um importante aspecto em qualquer estratégia de marketing digital.

O acesso ao Brand Collabs Manager ainda é limitado, porém a ferramenta estará disponível para todos os usuários em breve.

Caso você seja profissional de marketing, patrocinador ou tenha uma marca, pode se candidatar através do link.

Facebook lança novo layout para fanpages semelhante ao do Orkut

Após inspirar-se na interface do Instagram, o Facebook lançou um novo layout para páginas empresariais em desktop semelhante ao do Orkut e que deve ser implementado oficialmente no Brasil nesta sexta-feira, dia 24 de agosto.

Denominada popularmente de orkutização, essa transformação na maior rede social do mundo recebeu imagens de capa maiores e botões de ação mais proeminentes – tudo para facilitar a interação do usuário com determinada empresa e/ou marca.

Além disso, informações do user como sobre, fotos e vídeos, eventos, locais, comunidade e demais aplicativos da instituição foram realocados abaixo de seu nome – assim como era no Orkut. Compare abaixo:

Outras semelhanças com a falecida rede social estão na disposição de quem curtiu a página, alocadas à direita – assim como encontrava-se a sessão de amigos do Orkut – e quanto as demais informações de ambas redes sociais, que ficam no centro das páginas.

Tudo indica que essas mudanças serão aplicadas definitivamente no Brasil até o final deste mês.

 

 

 

Seu post foi banido? Saiba o que não pode ser publicado no Facebook

Teve seu post banido?

Pela primeira vez, desde a sua concepção em 2004, o Facebook abriu o jogo sobre suas diretrizes internas e revelou, por meio de um documento com 27 páginas, os critérios de avaliação adotados para banir, ou não, um post ou usuário. Além das regras de conduta, a rede social lançou um recurso para a apelação de publicações removidas pelo site, quando consideradas inapropriadas. Assinada pela vice-presidente internacional de políticas públicas do Facebook, Monika Bickert, a declaração pode ser acessada por todos, em sua integra, na sessão padrões da comunidade, no Facebook.

Por que publicadas agora?

Segundo a autora do documento, a divulgação das diretrizes internas da rede social se deu por dois motivos: auxiliar os usuários a compreenderem como a equipe de revisores de conteúdo – que conta com mais de sete mil funcionários alocados em 11 escritórios pelo o mundo – determina o que é inapropriado para o feed de notícias e abrir espaço para feedbacks, descomplicando o processo de uso da ferramenta por todos.

O que mudou?

Agora, o Facebook permite que seus utilizadores recorram quando seus posts são apagados. Essa opção já existia antes, mas apenas para casos de suspensão de perfis, páginas ou grupos. A partir deste momento, será possível pedir a revisão de conteúdos inapropriados e removidos por violarem regras relativas a nudez, atividade sexual, discursos de ódio e violência explícita.

O pedido será analisado em até 24 horas. Se a censura for indevida, a publicação voltará ao feed de notícias e o autor do conteúdo será notificado. As consequências da violação dos padrões de comunidade do Facebook variam de acordo com a gravidade da postagem e com o histórico do usuário.

O indivíduo pode ser notificado até duas vezes e, se persistir em violar as diretrizes do Facebook, seu post ou perfil serão desativados pelo site. Em casos de ameaça direta à segurança pública, ou riscos reais ao demais indivíduos, até as autoridades policiais poderão ser notificadas.

Afinal, o que não pode ser postado no Facebook?

De modo geral, publicações de violência, nudez, atividades sexuais, bullying ou fake news são comumente vetadas pelo Facebook.

Nudez. É rigorosamente proibido o compartilhamento de imagens intimas de terceiros – com ou sem sua autorização – independente da finalidade com elas. Fotos de partos e amamentação, além de nus artísticos, incluem-se neste caso: só serão aceitas quando as partes íntimas forem censuradas.

Violência. Indivíduos ou organizações envolvidas em atividades criminosas não são permitidos na rede social. Portanto, publicações que exibem, admitem ou exaltem atos infracionais – como agressões físicas contra pessoas e animais, furtos, vandalismos, fraudes, tráfico e violência ou exploração sexual – também serão retirados do ar.

Bullying e suicídio. A plataforma também tem a capacidade de identificar potenciais suicidas ou pessoas com intenções de se machucar. Nesses casos, o Facebook analisa o cunho de suas publicações, notifica o usuário e, ainda, lhe oferece apoio. De qualquer forma, publicar fotos de acidentes ou ferimentos vai contra as políticas de publicação da rede e esse conteúdo poderá ser removido.

Fake news e spam. Não passarão. O site consegue verificar a repetição de um link – caracterizando-o como spam – e de checar a veracidade de notícias compartilhadas, excluindo ambos os casos.

Direitos autorais. Ferir a propriedade intelectual de alguém, ao publicar algo protegido pelos direitos autorias sem os devidos créditos ou autorização, também é proibido.

Ainda tem dúvidas sobre o que não postar? Pergunta pra gente nos comentários!