Mark Zuckerberg deu uma entrevista extensa e bem detalhada ao site The Verge, falando sobre o futuro da sua empresa, da internet, comunicação entre outras coisas.

de47dfaf373635406d20781c4ebc7d9d

Após dez anos do “nascimento” do Facebook, ele explica que a rede finalmente entendeu qual é o seu motivo de existir, é conectar as pessoas que não têm conexão com a internet, mas para isso a empresa precisa enfrentar três obstáculos diferentes que são:

  • Acessibilidade;
  • Disponibilidade;
  • Conscientização;

Mark explica que a principal delas é a disponibilidade, “Mesmo que tivessem um telefone, essas pessoas não teriam um sinal [de internet], já que não há nenhuma fibra ou nenhuma rede de banda larga móvel onde eles vivem”. Mas esse não é o único problema, ele afirma que 1,6 bilhões de pessoas convivem com esse desafio de conexão.

Mark-Zuckerberg-Facebook

E como as ideias surgem dos problemas, foi nesse momento que a empresa viu que precisava desenvolver tecnologias alternativas. As ideias a principio foram um voo inaugural de Aquila que aconteceu nesta semana. E um avião movido à energia solar que envia sinais de internet enquanto sobrevoa a região.  Zuckerberg estava presente neste primeiro voo. “Sabe, se você me dissesse, quando eu ainda estava começando o Facebook, que um dia eu iria construir aviões, eu diria que você era louco. Porém, os aviões são muito importantes para cumprirmos a missão de conectar todo o mundo.”

Para resolver o “problema” acessibilidade, Zuckerberg sugere duas aproximações: tornar os dados mais baratos ou utilizar menos dados. Fornecer desenhos e tecnologias sem cobrar direitos de uso é uma das estratégias que já está nos planos do Facebook.

“Se podemos salvar os bilhões da indústria de telecomunicações, isso será revertido na forma de preços mais baixos de dados para os consumidores”, diz ele, de forma otimista.

E a última questão é conscientizar todas as pessoas que podem ter internet, mas nunca experimentaram e por esse motivo acham que se conectar é algo dispensável. O Facebook trabalha com um programa chamado Free Basics, que permite acesso de graça a serviços essenciais. E depois que essas pessoas entrarem em contato com esse mundo elas vão aceitar a pagar pelo acesso.

Facebook Comments

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *
You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>